Divulgação do metal português

Mais Recente

Metalegion # 8 – Março 2021

Está em pré-venda o número 8 da Metalegion, que apresenta na capa os Asphyx que lançaram recentemente o álbum “Necroceros”. São ao todo 96 páginas escritas em inglês, com oferta de um CD e que apresentam a Metalegion como uma das magazines fortes a nível do underground nacional. Além dos vários artigos, críticas a álbuns temos entre outros entrevistas com:

  • Korpsesoturi – death metal (Finlândia)
  • Blessed by Perversion – death metal (Grécia)
  • Dread Sovereign – doom metal (Rep. Irlanda)
  • Dira Mortis – death metal (Polónia)
  • Transilvania – black / thrash metal (Aústria)
  • The Amenta – industrial death metal (Austrália)
  • Iotunn – progressive melodic death metal (Dinamarca)
  • Atrexial – black / death metal (Espanha)
  • Scott Ian – Anthrax, Mr. Bungle
  • Akhlys – black metal (EUA)
  • Soulskinner – death metal (Grécia)
  • Infiltration – death metal (Rússia)
  • Seer of Gallows – black metal
  • Godagainst – death metal (Chile)
  • Nirnaeth – dark ambient / black metal (Polónia)
  • Hell-Born – black / death / thrash metal (Polónia)
  • Ignitor – heavy / power metal (EUA)
  • Asphyx – death / doom metal (Países Baixos)
  • Ablaze My Sorrow – melodic death metal (Suécia)
  • Pork True – death metal (Espanha / Costa Rica)
  • Significant Point – heavy / speed metal (Japão)
  • Bhleg – black metal (Suécia)
  • Cancerfaust – death metal (Polónia)
  • Edoma – black / death metal (Rússia)
  • Tomorrow’s Rain – death / doom / gothic metal (Israel)
  • Einherjer – viking metal (Noruega)

De Lisboa chegam os Hellspike com álbum de estreia “Lords of War”, formada por Rick Metal (voz / baixo), Zellpike (guitarra) e Skullthrasher (bateria), aqui com o tema “Stellar Victory”.

Azorean Heavy-Metal 1980-2000 Collection

Está dado o primeiro passo para esta aventura de descoberta para alguns, ou de evocar algumas das bandas açoreanas para outros, e que fazem parte do nosso movimento nacional, com esta Azorean Heavy-Metal 1980-2000 Collection.

A coleção está disponível no formato cassete, mas terá um d-code para efectuar o respectivo download.

A edição e iniciativa está a cargo da Mars Productions do Paulo Andrade e que conta com a parceria do Museu do Heavy Metal Açoreano, do Mário Lino e que reúne assim estes tesouros em formato cassete, formato tão em voga nos dias de hoje e com razão.

Constituída pela edição de 6 volumes com 8 bandas açoreanas este primeiro número conta com os Prophecy od Death.

Ao todo temos então:

  • Prophecy of Death – doom / death metal – São Miguel (1993)
  • In Peccatum – doom / gothic metal – Fajã de Baixo / São Miguel (1998)
  • Obscenus – death / doom metal – Ponta Delgada / São Miguel (1993)
  • Wrek Age – heavy metal – Ponta Delgada / São Miguel (1990)
  • Sanctimoniously – doom / black / death metal – Ponta Delgada / Saõ Miguel (1996)
  • Necropsia – death metal / grindcore – São Miguel (1991)
  • Hangover
  • Morbid Death – melodic death / gothic metal – São Miguel (1990)

Lusitânia #7 – Março 2021

O número 7 da Lusitânia está já disponível, com a capa a pertencer aos Secret Chord, e grande parte do número dedicado a entrevistas com várias editoras, como a Amazing Records, Caverna Abismal Records, Ethereal Sound Works, Gruesome Records, Larvae Records, Miasma of Barbarity Records e Voraus Records.

Também disponível neste número, entrevistas, artigos, biografias e muita informação dedicada ao rock e metal português, em que para a adquirirem basta entrarem em contacto com a própria revista e aproveitarem a assinatura para 12 números, entre outras hipóteses. Apoia esta publicação!

Reminiscências – Afterdeath

Reminiscências é uma secção destinada a relembrar o som de algumas bandas nacionais.

Afterdeath foi uma das bandas que marcou o underground nacional na década de 90 do século passado. Formados em Lisboa em 1990 foi a sonoridade death / thrash / progressive metal, a presença em palco e uma enorme legião de fãs que lhe granjeou este enorme reconhecimento. Após vários demos apenas gravaram um álbum de nome “Backwords” publicado em 1995 pela Guardians of Metal, onde tinham como formação Sérgio Paulo (voz), Nuno Maciel (guitarra), José Ramos (baixo) e Mário Rui (bateria). A banda acabaria por cessar funções em 1997.

Discografia:

  • Death is Calling (demo – 1991)
  • Behind Life (demo – 1992)
  • Dark Atmosphere (demo – 1993)
  • Unreal Sight (demo – 1994)
  • Backwords (álbum – 1995)

Sanctus Nosferatu apresenta o novo tema / single “1.e4”

Sanctus Nosferatu, depois de um hiato de vários anos surge com o novo tema / single “1.e4”, com uma sonoridade thrash metal, que nos mostra um retorno refrescante e vivo. Nas letras de “1.e4”, temos que “we’re just pawns on this bloody game / trying to survive on this bleak oblivion”, mas para os conhecedores / entendidos do xadrez a jogada 1.e4 é conhecida pela “abertura do peão do rei”, uma das aberturas mais convincentes e é isso que desejamos a esta banda açoriana: um convencedor retorno às sonoridades mais extremas.

Este tema foi captado pela banda, com mistura e masterização a cargo do Tiago Alves (Anomally, HUman Hate, Morbid Death, Palha D’Aço, Deem Index) nos Waveyard Studios, na Praia da Vitória (Terceira).

E foi mais precisamente em São Miguel que os Sanctus Nosferatum se formaram em 2002, com uma sonoridade black / death metal, lançando no final de 2006 a promo-track “Revelation” que para divulgação surgiu em várias compilações, de entre as quais no “Círculo de Fogo – Ataque #1 (e que aproveito para divulgar a página do bandcamp onde tem para download este tema e muitos outros do nosso underground nacional). Por esta altura é de destacar a conquista na categoria de metal no IV Concurso de Música Moderna da Ribeira Grande em 2009.

Em 2010 começam as gravações do primeiro longa-duração “SAMCA”, com Ruben Moniz nos estúdios da NeburRecords, com masterização e edição do André Tavares (Grog, Seven Stitches).

Actualmente a banda é constituída por Nuno Carreiro (baixo), Ruben Ferreira (guitarra), Nuno Costa (bateria) e David Pais (voz convidada).

Loud! # 240 – Março 2021

O mês de Março recebe nas bancas (ou por assinatura) o número 240 da Loud!, com o norte-americano Rob Zombie na capa, que tem o seu último lançamento com o nome “The Lunar Injection Kool Aid Eclipse Conspiracy”. Um número bastante eclético, com inúmeras razões para a sua leitura e descoberta, com entrevistas a:

  • Sullen – progressive metal (Portugal)
  • Culted – blackened doom metal (Canadá / Bélgica)
  • Dee Snider – heavy metal (EUA)
  • Hoofmark – black metal (Lisboa)
  • Demon Head – doom metal / hard rock (Dinamarca)
  • Tomahawk – experimental metal (EUA)
  • Dread Sovereign – doom metal (Rep. Irlanda)
  • Genghis Tron – experimental metal (EUA)
  • John Carpenter
  • Rob Zombie – industrial metal (EUA)
  • Eyehategod – sludge / doom metal (EUA)
  • The Crown – melodic death / thrash metal (Suécia)
  • Alkerdeel – raw black / sludge metal (Bélgica)

Hoofmark, e o seu álbum “Evil Blues” a ser a grande estreia deste novo ano!

Reminiscências – Evisceration

Reminiscências é uma secção destinada a relembrar o som de algumas bandas nacionais.

Evisceration, banda fundada em 1991 em Setúbal praticavam uma sonoridade death metal / grindcore teve o seu ponto alto com o lançamento do álbum “Hymn to the Monstrous” em 1994 pela editora Dark Records, com a formação de Carlos (voz / guitarra acústica), Hugo (guitarra), Jorge (baixo) e David (bateria).

Discografia:

  • Blood Shake (demo – 1992)
  • In the Flesh (demo – 1993)
  • Hymn to the Monstrous (álbum – 1994)

BlisteringHeavyMusic.pt – Dico e a nova compilação para download gratuito

Está disponível aqui para download gratuito a nova compilação BlisteringHeavyMusic.pt com a concepção, produção e layout a cargo do Dico, que nos tem brindado com a sua excelente dedicação e divulgação da música underground portuguesa. A remasterização esteve a cargo do Paulo “Paulão” Vieira no MPRecordings e artwork a cargo de Fjaka/Pixabay.

Neste sexto lançamento temos a presença de:

  • Stones of Babylon – “Coffea Arabica” (stoner / doom metal – Lisboa)
  • Dawnrider – “Demons” (doom metal – Lisboa)
  • Dragon’s Kiss – “Ride ‘Till We Die” (heavy metal – Lisboa)
  • Fantasy Opus – “The Last Dream – III. A Perfect Storm (power / progressive metal – Lisboa)
  • Perpetrator – “Let Sleeping Dogs Lie” (thrash metal – Lisboa)
  • Gatos Pingados – “Insolvência” (punk – Almada)
  • Cruzada – “Inquisição” (black metal)
  • Cronaxia – “Plasmatech” (death metal – Lisboa)

Faz o download desta compilação e tem acesso as outras compilações!

All Against apresenta o vídeo de “I Am Alive” e em breve surgirá o álbum de estreia

All Against – facebook da banda

All Against, formados em Lisboa em 2015, praticantes de um thrash-metal musculado, apresentaram este mês um vídeo com o tema “I Am Alive” e que surge como single para o álbum de estreia que surgirá em breve lançado pela editora italiana WormHoleDeath.

O tema “I Am Alive” foi gravado no Ultrasound Studios na Moita, misturado e masterizado pelo Hugo Andrade. O vídeo gravado na Nazaré esteve a cargo do Miguel Mateus.

O primeiro lançamento da banda foi o EP “Medusa” em 2017, gravado e misturado pela própria banda, com os temas “Medusa”, “Silver Bullet” e “Cut in Blood”. Nesse mesmo ano surge o trabalho ao vivo “Live in Bobadela Vila Rock”. Em 2018 vê a luz do dia o EP “Feed the Machine”, gravado e misturado pelo Miguel Tereso no Demigod Recordings e é composto pelos temas “Strip You to the Bone”, “Feed the Machine” e “Weapons of Mass Distraction (WMD)”.

A banda é constituída por Rui Miguel (voz), Sérgio Correia (guitarra), Bruno Romão (guitarra), Luís Silva (baixo) e Ricardo Tito (bateria).

E agora sim, o tema: “I Am Alive”:

Museu do Heavy Metal Açoriano

Quando comecei a fazer a pesquisa para este artigo não estava ciente do que ia encontrar, mas o resultado tornou-se extremamente positivo.

O Museu do Heavy Metal Açoriano é uma página do facebook que tem como objectivo o que refere no seu nome. O que temos aqui é um trabalho idealizado e erguido pelo Mário Lino, um veterano nestas andanças, que decidiu juntar a informação relativa ao metal nestas belas ilhas açorianas.

É um local de partilha e divulgação do que tem surgido nestes últimos anos, com um cunho histórico de reunir este espólio do metal açoriano, com muitos artigos de imprensa, cartazes, concertos, fanzines, newsletters, recortes da imprensa e as bandas. Sim, porque actualmente o movimento pode estar menos vivo, mas registos da existência de bandas açorianas ultrapassa a centena.

Para complementar toda a informação disponível também podem visitar a página do bandcamp para ouvir algumas das bandas, assim como programas de rádio, o que ainda valoriza mais este trabalho.

Em suma, visitem a página deste museu e se tiverem alguma “peça” que possam fornecer ao museu não hesitem em entrar em contacto para assim poderem divulgar por todos a história do nosso metal nacional. Cuidem muito bem deste espaço museológico e apoiem-no no seu crescimento.

Dreaming in Black
Buried by Lava